DA CRISE A ESPERANÇA

Um dos conceitos mais escutados nos últimos tempos é a palavra “crise”. A manifestação mais visível desta crise é a aumento da pobreza e a fome no mundo, sobretudo no sul. Embora, nunca houve tanta riqueza no planeta como há hoje em dia. O que acontece é que esta riqueza está concentrada em poucas mãos.

“ Enquanto os lucros de poucos crescem exponencialmente, os da maioria situam-se cada vez mais longe do bem-estar daquela minoria feliz. Tal desequilíbrio provém de ideologias que defendem a autonomia absoluta dos mercados e a especulação financeira. Por isso, negam o direito de controle dos Estados, encarregados de velar pela tutela do bem comum.”, assinala o Papa Francisco (E.G. nº 56). Um dado muito impactante é o último informe de Oxfam: 1% da humanidade possui mais de 50% da riqueza do planeta.

O que acontece no mundo se projeta também na Espanha. As políticas económicas que nos impõe o Mercado e o Governo, “de uma forma unilateral e implacável com suas leis e suas regras”, estão acrescentando a riqueza de uma minoria nos países de Europa, enquanto amplos setores da população se afundam na pobreza. O caso mais típico tem sido o da Grécia.

De todos os lugares do planeta surgem vozes e mobilizações buscando novas alternativas. Está nascendo uma corrente de pensamento que busca uma mudança profunda na maneira de viver e de organizar a sociedade, a fim de construir uma sociedade mais justa, solidária, pacífica e cuidadosa do meio ambiente.

O império do capital tem a sua força, as armas, o dinheiro e o poder, porem, a falta de verdade que tem as vitimas do sistema e quantos sonham e lutam por outro mundo alternativo. A luz da esperança brilha cada vez mais limpa no horizonte.


Escrito por Fernando Bermúdez

Traduzido por Sandra Rizzolli